Aqui você pode deixar sua opinião com relação a Escola de Educação Infantil Pato. Então escreva para pato@pato.com.br:

Confira outros depoimentos deixados por nossos usuários:

2 | Anterior | Próximo |


PAULLINY GUALBERTO TORT
Queridas professoras,

Infelizmente, não tive tempo de me despedir pessoalmente. Então aqui vai uma pequena mensagem de despedida e agradecimentos.

O Yamandú entrou no Pato em um momento delicado, de muitas mudanças e transformações; chegamos quando o trem já estava andando, no meio do ano letivo. Mesmo assim, ele foi recebido de braços abertos por cada uma de vocês. Para uma mãe, esse carinho não tem preço.

O Pato entrou para a história de nossa família, ainda que tenhamos estado com vocês por tão pouco tempo... Menos de um ano, no fim das contas. Mas foi um período de encontros felizes e de experiências inesquecíveis.

Agradeço a cada uma de vocês, do fundo do coração, e só não vou listar os nomes por receio de cometer a injustiça de deixar alguém de lado! Entretanto, não posso deixar de registrar aqui um agradecimento especial à Cláudia, que soube compreender tão bem o nosso pequeno.

Para a Daiane, deixo também um grande e forte abraço. Ficamos pouco tempo com ela, mas pudemos perceber que é uma professora amorosa e dedicada, assim como a Cláudia. Como eu havia dito, não quero falar de cada uma, mas sintam-se todas abraçadas. Sentiremos muitas saudades.

Um grande beijo,
Paulliny Gualberto Tort



IANDRA, LUIS E OLÍVIA SANTANA POLLO
Querida família Pato,

Acabamos não nos despedindo de vocês, como gostaríamos de ter feito, em função da correria que foi a nossa última estadia aí em Porto Alegre.

Mas gostaria de dizer, primeiro, muito obrigada a todos vocês por toda atenção, cuidado e carinho que dedicaram à nossa pequena Olívia, e por todos os momentos de alegria que proporcionaram a ela neste primeiro ano de convivência com vocês.

Nós pudemos perceber muito claramente o quanto ela adorou essa experiência na Pato, pois ela manifesta isso continuamente, seja falando dos amigos que encontrou aí, seja repetindo músicas e brincadeiras que ela aprendeu na escola, seja imitando as professoras Maria Luísa e Melissa e fazendo de conta que nós (eu e o Luis) somos os seus alunos!

Foi maravilhoso pra gente ver o quanto ela se desenvolveu com essa experiência, se tornando cada vez mais independente, comunicativa e sociável.

Podem ter certeza que vocês estarão sempre em nossos corações, e sempre que formos à Porto Alegre faremos questão de fazer uma visita!

Um abraço bem apertado em todos,








SÍLVIA WORTMANN
Queridas,
Escrevo-lhes com muita satisfação para dizer que estou vivenciando com a Ângela, nessa semana de férias, o que havia me dito uma mãe de um ex-patinho: "Eles saem do Pato maduros, prontos para ir para a nova escola, é visível a diferença dos alunos das outras escolas". Pois bem, na época em que ela me disse essa frase fiquei pensando, com dúvidas, se tal situação iria acontecer com a minha "pequena grande", e na minha cabeça passaram momentos dos 4 anos em que ela esteve no Pato, desde a entrada superadaptada, até algumas situações de medo, insegurança e uma certa dependência demonstrada por ela. Enfim, apesar de não ter iniciado ainda na "escola dos grandes", o que para ela está sendo um momento muito aguardado, e vejo que muito bem resolvido com o "encerramento" do Pato e início dessa nova etapa, resolvemos experimentar nessas férias de verão uma vivência nova, numa colônia de férias, de meio turno, de um clube grande, com 25 crianças, todas desconhecidas: ela está superbem adaptada desde o primeiro dia, brincando, bem independente e organizada com as atividades e rotinas propostas. Claro que sente falta dos seus amigos do Pato, mas como tem convivido com eles em outras atividades ainda durante as férias está bem satisfeita!
Ainda ontem, no final da tarde, quando fui buscá-la – e a vi saindo do vestiário, com sua mochilinha nas costas, indo em direção à sala de atividades e tirando lá seu lanchinho extra –, logo pensei na frase referida acima, concordando plenamente com ela!
Assim, agradeço, mais uma vez, o carinho, a dedicação, o aprendizado, as brincadeiras, enfim, os belos momentos que a Ângela teve nessa escola maravilhosa!
Abraço, Sílvia Wortmann.



MOISÉS PONTREMOLI
POR QUE SE ESCOLHE UM COLÉGIO? POR QUE ESCOLHEMOS O PATO?
- não foi pela estrutura, pois temos colégios com infraestrutura bem maior.
- não foi por status.
VALORES!
Nós escolhemos por valores. Valores abundam por aqui.
OS VALORES QUE NOS ATRAÍRAM
- TRADIÇÃO. Muitas coisas são iguais como eram há tempos. Para muitos isso é ser antiquado. Para nós é ter confiança no que se faz. Se for provado que é melhor de outro jeito, pode-se mudar. Enquanto isso, seguimos do jeito que sabemos dar certo.
- SUSTENTABILIDADE. Eis um exemplo de “modernismo” que foi acatado. Certamente a ênfase dada hoje à sustentabilidade não é a mesma dada há 45 anos atrás. O mundo entendeu sua importância. Conceitos foram consolidados, e estes o Pato absorveu. Todas as nossas crianças têm esses conceitos muito bem sedimentados.
- REGRAS em uma época em que tudo pode. Em que todos têm direitos, ninguém tem deveres. Em que cada um quer que seja do seu jeito. Em que não se pode dizer não. Como ninguém pode ser contrariado, chegamos a uma geração imediatista, a uma geração individualista que espera que o outro resolva o seu problema, já que é seu direito receber tudo pronto.

No Pato esse “modernismo” não foi acatado.
Aqui,
O que é certo é certo.
O que não pode, não pode.
Regras são regras.

Isso não quer dizer que ninguém tem voz nem vez. Que teremos seguidores e não atores na vida. Isso quer dizer que uma sociedade precisa ter regras, que elas têm que ser seguidas para que a harmonia entre todos persista e que possa ser extraído o máximo proveito dessa convivência social.

Ok, mas e a autonomia das crianças? Não existe contradição entre seguir regras e desenvolver a autonomia. Esse é mais um valor que buscamos e recebemos para nossas crianças com esses anos de Pato. Tudo que aqui é feito busca a autonomia das crianças. Autonomia no pensar, autonomia no fazer, autonomia no brincar.

Hoje em dia vivemos em um mundo onde tudo está pronto. Respostas, o Google nos dá qualquer uma. Pois o Pato ensinou nossas crianças a irem atrás das respostas. A questionar, experimentar, criar. Tudo para conduzi-las a saber mais. A Ser mais.

BRINQUEDOS hoje em dia estão todos prontos. Na época dos videogames, nossas crianças são usuárias. Aqui no Pato elas aprendem a ser criativas. A ser criadoras. Responsáveis também pela sua diversão. Que o digam os diversos brinquedos inventados que produziram aqui dentro. Autonomia com responsabilidade.

VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO. Como poderíamos ter uma uniformidade de ação, como tem o Pato, se as professoras fossem trocadas todos os anos? Não pode ser por acaso que as professoras aqui têm muitos e muitos anos de Pato. Só assim se perpetua uma cultura. Só assim se perpetuam valores.

IDENTIDADE EMPRESARIAL. Sonho de qualquer empreendedor nesse mundo competitivo é alcançado com excelência aqui no Pato. Aqui, todos agem no mesmo sentido e com os mesmos objetivos. Todos sabem onde querem chegar e agem para isso. Isso só se alcança com os melhores profissionais.
Valorização dos professores. Consequência: os melhores seguem aqui!

O RESULTADO DESSES VALORES QUE DESCREVI? Nossas crianças são mostra viva de tudo isso:
• Crianças sadias,
• independentes,
• curiosas,
• felizes.
• Prontas para a vida.

CRIANÇAS SADIAS!
OBRIGADO PATO.

Discurso feito pelo pai de Tiago Pontremoli, nosso ex-aluno, na formatura do Grupo5, da profa Luciana Bruno, em dezembro de 2013